Domingo, 19 de Julho de 2009

Aliviai

Deixai romper o Sol

Ó nuvens tão pesadas

Mesmo as esbranquiçadas

Espectáculo variado, inconsistente

Desenho estranho, demente

Misterioso

Indecifrável

Mutável

Deixai romper o Sol

Ó nuvens tão armadas

De água carregadas

Aos empurrões

Aos baldões

Nesse céu sem luz

Sem brilho

Sem tino

Um desvario desajustado

Deixai romper o Sol

Ó nuvens ribombantes

Tonitruantes

Iluminadas

De raios em ziguezague

Armadas de lanças

Prontas a devastar

Preparadas para matar

Deixai romper o Sol

Ó nuvens desgostosas

Tão chorosas

Do mal que nos causais

De peso absurdo

Que vós trazeis ao mundo

Desditosas

Deixai romper o Sol

Aliviai

 

 

tags:
Publicado por Isabel Sá Lopes às 20:57

Link do Post | Comente Este Post | Adicionar aos Favoritos
|
1 comentário:
De teresa oliveira a 9 de Dezembro de 2009 às 21:27
Que posso dizer!!!! é tão bonito.

Comentar post

.Mais sobre Isabel Sá Lopes

.Pesquisar Neste Blog

 

.Recentes Declamações

. Eldorado - Edgar Allan Po...

. Um Sonho Noutro Sonho - E...

. A Vindima

. Dia luminoso, lavado

. Aliviai

. A propósito do Dez de Jun...

. Florbela espanta

. Tiquetaque

. Ondas

. Ladainha

. Mar e Fogo

. Retrato

. Outono

. Amizade

. Estou Cansado

. Dobrada à Moda do Porto

. Viajar

. Eu gosto da cidade.

. Ler, Mãe

.Arquivo

. Julho 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

.Links

.Contador de Visitas

blogs SAPO

.subscrever feeds