Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008

Ladainha

É vicioso, empastado, malcheiroso,

Por sua causa

o céu não é azul

o ar perdeu o tom e a limpidez

do mar a espuma preta

empresta, invade o areal

Por sua causa

fazem-se e desfazem-se guerras

criam-se e não se cumprem leis

Por Ele

o homem esquece o outro homem

o homem inventa um Deus

Ó Deus Petróleo

como te adoram e bajulam todos

Ó Deus Petróleo

Como são ricos os que em Ti confiam

Ó Deus Petróleo

Como se ajudam os que Te contêm

Ó Deus Petróleo

Como se desprezam mais e mais os outros

Ó Deus Petróleo

Não quero acreditar em ti

Insisto em acreditar no Homem.

 

Isabel Sá Lopes

 

Publicado por Isabel Sá Lopes às 16:33

Link do Post | Comente Este Post | Adicionar aos Favoritos
|

.Mais sobre Isabel Sá Lopes

.Pesquisar Neste Blog

 

.Recentes Declamações

. Eldorado - Edgar Allan Po...

. Um Sonho Noutro Sonho - E...

. A Vindima

. Dia luminoso, lavado

. Aliviai

. A propósito do Dez de Jun...

. Florbela espanta

. Tiquetaque

. Ondas

. Ladainha

. Mar e Fogo

. Retrato

. Outono

. Amizade

. Estou Cansado

. Dobrada à Moda do Porto

. Viajar

. Eu gosto da cidade.

. Ler, Mãe

.Arquivo

. Julho 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

.Links

.Contador de Visitas

blogs SAPO

.subscrever feeds